Novembro Azul no Cedeba começa segunda-feira com teste de hepatite

Date
Categoria
Sua Saúde

Pessoas com diabetes têm duas vezes mais chance de ter hepatite C, doença que, se não for tratada, pode evoluir para câncer de fígado e cirrose, adverte o presidente da Sociedade Brasileira de Hepatologia, o hepatologista Paulo Lisboa Bittencourt. Ele mesmo, no entanto, nos tranquiliza – Hepatite C tem cura – o tratamento com medicação oral dura 12 semanas – e a doença pode ser diagnosticada com o teste rápido, simples e gratuito, disponível na rede pública de saúde.

Este ano, o Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba) dá início às atividades do Novembro Azul – 14 de Novembro é o Dia Mundial do Diabetes – com a realização do teste rápido para hepatites B e C para usuários do Centro de Referência com diabetes tipo 2, de qualquer idade, e pacientes em geral acima de 40 anos, atendidos no laboratório do Cedeba.

O teste começa a ser realizado dia 4 de novembro (segunda-feira) , numa parceria do Cedeba, Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep) da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) e Sociedade Brasileira de Hepatologia (SBH), prosseguindo até o dia 3 de dezembro. Será feito mediante assinatura de termo de consentimento, quando os pacientes se dirigirem ao Laboratório de Análises do Cedeba para exames de rotina. Segundo explicou o coordenador do Laboratório do Cedeba, Sandro Monteiro, o teste de hepatite é rápido e pode ser realizado na mesma amostra de sangue coletada para exames laboratoriais.

Muito importante

Para o hepatologista Paulo Lisboa Bittencourt, quando a atenção do planeta está voltada para o diabetes, com a mobilização do Dia Mundial “é muito importante fazer o teste de hepatite C, doença que no Brasil atinge 0,7%- 2,1% da população em geral, sendo sua frequência ainda maior em pessoas vivendo com diabetes”.

Na avaliação do hepatologista, “nossa parceria com o Cedeba e Divep é muito importante, por facilitar para as pessoas com diabetes a realização do teste de hepatites B e C, caminho para o tratamento – garantido pelo governo – evitando mais uma complicação na saúde das pessoas com diabetes. Essa experiência da Sociedade Brasileira de Hepatologia com o Cedeba pode funcionar como piloto e ser ampliada para todo o País”, avaliou o hepatologista.

Prevenção

Atitudes simples podem prevenir a contaminação pelos vírus das Hepatites A, B, C, D e E. No Brasil, a maior quantidade de mortes por hepatites virais é decorrente das B e C. Para a prevenção, é importante evitar contato com sangue, não compartilhar alicates, lâminas de barbear, escova de dentes ou perfurocortantes e usar sempre camisinha. A vacina para hepatite B está disponível nas unidades básicas de saúde, gratuitamente.

Sessão temática

Este ano, pela primeira vez, a Coordenação de Educação e Diabetes (Codar) do Cedeba, realizará sessão temática em novembro, quando se comemora o Dia Mundial do Diabetes. A aula, na próxima terça-feira (5 de novembro), das 8h30 às 11h30, no auditório do Centro de Atenção à Saúde para os profissionais do SUS (Centro de Referência, Atenção Básica) e estudantes universitários da área da Saúde , será da oftalmologista e retinóloga do Cedeba, Tessa Mattos, sobre “Prevenção de Tratamento da Retinopatia Diabética (RD)”, a complicação mais temida pelas pessoas com diabetes diante do risco de cegueira.

Segundo a especialista a RD é doença silenciosa, e para a prevenção é muito importante o controle da glicemia e da hipertensão arterial. Explicou que o risco de cegueira pela RD pode ser reduzido a menos de 5% quando o tratamento é feito em tempo adequado.

Ela também apresentou números que mostram a presença da RD em função do tempo do diabetes, que atinge 90% nos casos de diabetes tipo 1, após 20 anos da doença. Nesse período, 60% dos pacientes com diabetes tipo 2, apresentam algum grau de RD.

Entre os fatores de risco para a RD estão o descontrole da glicemia e a hipertensão arterial. E mais: a obesidade, nefropatia, gravidez e anemia. Os critérios para encaminhamento ao oftalmologista são os seguintes: no diabetes tipo 1, após a puberdade ou cinco anos após o diagnóstico da doença, enquanto no tipo 2, junto com o diagnóstico de diabetes.

Ações educativas

A programação do Novembro Azul prossegue até o dia 14 (dia Mundial do Diabetes). A partir do dia 11 estão programadas atividades com abordagem educativa para os pacientes. São as caravanas que percorrem a unidade para chegar aos usuários. No dia 11, das 9 às 11 horas, representantes da Enfermagem e da Farmácia trabalharão o tema “Uso Racional de Medicamentos e Aplicação de Insulina com caneta”. Nessa ação haverá o suporte técnico do Serviço Social (aspectos legais e acesso a insumos e medicamentos).

No dia 12, o tema será “Seus Olhos e Diabetes”, tendo como facilitadora a oftalmologista Tessa Mattos e equipe. Também no dia 12, o setor de Psicologia estará fazendo abordagem educativa com o tema “Convivendo com o Diabetes”. No Dia Mundial do Diabetes (14 de novembro) no auditório do CAS haverá palestra sobre Prevenção da Doença Renal em Diabetes.

Mas o Cedeba, por meio da Codar, além das suas atividades, também faz o trabalho de sensibilização dos municípios, incentivando a realização de atividades para chamar a atenção para o Dia Mundial do Diabetes.

A data foi criada pela Federação Internacional de Diabetes, junto à Organização Mundial de Saúde em 1991, tendo sido oficializada mundialmente pela Assembleia Geral da ONU (OMS) em 2017 com a Resolução nº 61.225. A data faz parte do calendário de Saúde do Ministério da Saúde e é chancelada pela Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) Associação Nacional de Diabetes (ANAD) e Grupos organizados. 

 

Fonte: Ascom Cedeba